Comércio e Serviços exigem revisão urgente da matriz de risco

A CCP, Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, cuja Direção a APCMC integra, exigiu hoje em Comunicado a reavaliação dos critérios de risco e a redução das restrições às atividades económicas

«CCP considera fundamental a reavaliação dos critérios de risco e redução das restrições às atividades económicas

A cada dia que passa, a evolução dos indicadores quanto à pandemia do Covid-19 torna incompreensível para os empresários a manutenção de muitas das medidas restritivas nos sectores do comércio e dos serviços.

É pois urgente que o Governo encontre alternativas e se pronuncie sobre as diversas propostas, apresentadas por especialistas e entidades idóneas, de revisão dos critérios até agora mantidos na chamada “matriz de risco”.

A evidente melhoria da situação pandémica, com especial ênfase ao nível da gravidade do seu impacto, a par do escrupuloso cumprimento das normas da DGS pela generalidade das empresas de comércio e serviços, exige uma tomada de posição e uma explicação concreta para a manutenção de medidas tão gravosas para a atividade empresarial e para a qualidade de vida dos cidadãos em geral.

Por exemplo, o modelo proposto pela Ordem dos Médicos e Instituto Superior Técnico, e que foi apresentado por aquelas entidades à CCP, pondera além da transmissibilidade, a evolução favorável dos impactos da infeção como consequência da eficácia do processo de vacinação em curso, o que facilita a tomada de decisões para uma maior flexibilidade nas restrições impostas ao comércio e serviços

Não cabendo à CCP avaliar modelos epidemiológicos, cabe-lhe acompanhar a situação difícil das empresas e exigir uma revisão urgente de critérios que estão manifestamente desatualizados.

É altura de o Governo demonstrar confiança nos empresários para o cumprimento de medidas de saúde pública que ainda se revelem necessárias, mas em ambiente de uma muito maior abertura da atividade.

CCP
21.07.2021»