Revista nº 197 || Eficiência Energética

Revista nº 197 || Dossier Eficiência Energética
[PDF – Versão Completa]
Revistas anteriores

Caros Colegas,

Com a esperança de que este seja o momento da mudança face aos constrangimentos que a pandemia trouxe em termos de saúde pública, ainda estamos aquém do fim dos seus efeitos na economia, nomeadamente na cadeia de abastecimento e na estabilidade dos preços, das matérias-primas ao produto acabado.

Em concreto no sector dos materiais de construção, dependendo da origem dos produtos, vamos assistindo ao regresso a uma certa normalidade mas com bastantes exceções, nomeadamente nos produtos importados, no que às entregas se refere. Quanto aos preços, teremos que aguardar por 2022…

O desejo de voltar à normalidade alarga-se também à vida associativa. Obviamente que as videoconferências não vão acabar, bem pelo contrário, já que demonstraram ser um excelente complemento ao contacto direto e um excelente serviço aos Caros Colegas e às suas equipas.

As atividades associativas presenciais vão regressar em força e ainda este ano teremos certamente oportunidade de nos encontrarmos.

Gostaria de me deter agora na importância dos Comerciantes Independentes de Materiais de Construção que somos e nos quais a Associação dos Materiais de Construção, APCMC, tem o seu foco.

Quando pensamos na cadeia de abastecimento no sector da Construção, Reabilitação, Decoração e Manutenção de Habitação ou outra infraestrutura indispensável à vida do dia-a-dia, como escolas ou hospitais, percebe-se bem que um dos Elos mais fortes dessa cadeia somos nós, os Comerciantes, que desempenhamos o importante papel da distribuição dos materiais em capilaridade.

Esta importante função deve ser valorizada junto de todo o sector mas com ênfase junto dos fabricantes e importadores, que muitas vezes cedem à tentação de atalhar caminho com a venda direta, esquecendo-se com facilidade dos períodos de crise em que é o Comerciante Independente de Materiais de Construção que garante o normal fluxo das mercadorias e a segurança financeira a que o mercado se habituou.

Por esse motivo, é no interesse do canal que representamos que tudo faremos para pôr em evidência este nosso serviço à sociedade e à economia.

Neste sentido, a APCMC está a desenvolver diversas ações que visam o reconhecimento dentro do sector da importância do funcionamento do mercado segundo o “Modelo dos Três Níveis”:

As atividades associativas presenciais vão regressar em força e ainda este ano teremos certamente oportunidade de nos encontrarmos.

Gostaria de me deter agora na importância dos Comerciantes Independentes de Materiais de Construção que somos e nos quais a Associação dos Materiais de Construção, APCMC, tem o seu foco.

Quando pensamos na cadeia de abastecimento no sector da Construção, Reabilitação, Decoração e Manutenção de Habitação ou outra infraestrutura indispensável à vida do dia-a-dia, como escolas ou hospitais, percebe-se bem que um dos Elos mais fortes dessa cadeia somos nós, os Comerciantes, que desempenhamos o importante papel da distribuição dos materiais em capilaridade.

Esta importante função deve ser valorizada junto de todo o sector mas com ênfase junto dos fabricantes e importadores, que muitas vezes cedem à tentação de atalhar caminho com a venda direta, esquecendo-se com facilidade dos períodos de crise em que é o Comerciante Independente de Materiais de Construção que garante o normal fluxo das mercadorias e a segurança financeira a que o mercado se habituou.

Por esse motivo, é no interesse do canal que representamos que tudo faremos para pôr em evidência este nosso serviço à sociedade e à economia.

Neste sentido, a APCMC está a desenvolver diversas ações que visam o reconhecimento dentro do sector da importância do funcionamento do mercado segundo o “Modelo dos Três Níveis”:

Este modelo é do interesse de todos os intervenientes.

O Fabricante encontra na rede de distribuição de materiais de construção:

  1. Abrangência nacional, com uma distribuição geográfica adequada à densidade populacional de cada região;
  2. Uma rede de distribuição que se tem modernizado e tem tido excelentes progressos, nomeadamente nas competências comerciais e logísticas;
  3. Uma rede financeiramente robusta e segura, como é fácil constatar através da consulta do Ranking da APCMC, que até me permite arriscar a dizer que somos dos melhores do mercado.

Para o Construtor/Aplicador somos:

  1. O melhor serviço de logística;
  2. A melhor gestão de crédito;
  3. Disponibilidade de stock em proximidade ao local de consumo.

Claro que todas estas vantagens que apresentamos a jusante e a montante nos saem “caro”. Requerem muito investimento e risco, mas é esta a nossa natureza.

A promoção deste modelo, que de resto é o modelo natural num mercado equilibrado, vai ocupar a nossa atenção nos próximos tempos.

Contamos também com o Ilustre Colega na defesa dos seus interesses e deste canal como um todo.

Revista nº 197 || Dossier Eficiência Energética
[PDF – Versão Completa]
Revistas anteriores