Grupo Saint-Gobain comprometido com a neutralidade carbónica até 2050

Portugal foi o primeiro país do mundo a anunciar a meta de se tornar neutro em carbono em 2050. O Grupo Saint-Gobain está a apoiar nesta transição, reforçando compromisso para com a neutralidade carbónica através de ações concretas.

O setor da construção é atualmente responsável por 39% das emissões de CO2 em todo o mundo, três quartos das quais correspondem à fase de utilização dos edifícios (através do aquecimento, energia utilizada, etc.) e um quarto resultam dos materiais de construção. Por outro lado, é responsável pelo consumo de 40% das matérias-primas mundiais, muitas vezes não utilizadas de forma eficiente.

De modo a caminharmos para uma economia mais verde é essencial que os edifícios sejam eficientes em termos energéticos. As perdas de energia no setor podem registar valores entre os 25% e 30%, representando 40% do consumo total de energia na Europa e cerca de 30% em Portugal.

Segundo especialistas, 60% dos edifícios que existirão em todo o mundo ainda não foram construídos. Estes dados reforçam a importância da sustentabilidade na construção, alertando para a urgência de uma mudança de atitude, no setor mais poluente da União Europeia.

A IMPORTÂNCIA DA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL
Para o Grupo Saint-Gobain, a construção sustentável está longe de ser uma tendência passageira. De acordo com José Martos, “trata-se de uma abordagem ambiental e social completamente nova para a construção de futuras cidades, focadas na coexistência comunitária, na sustentabilidade e na conservação dos recursos naturais e biodiversidade”. O CEO da Saint-Gobain em Portugal destaca ainda que “cidades responsáveis, com edifícios mais virtuosos, projetados para proporcionar um melhor desempenho energético, contribuem para a preservação dos recursos, emitem menos carbono e oferecem um maior bem-estar aos seus utilizadores.”

Além disso, uma estratégia voltada para a sustentabilidade deve ter em consideração a saúde e a segurança dos colaboradores, dos profissionais e dos utilizadores finais dos edifícios. Tal só é possível, por exemplo, através da conceção de produtos não irritantes ou com pouco pó, ou de produtos mais leves, mais fáceis de manusear e instalar, para reduzir o risco de lesões músculo-esqueléticas. Através de materiais mais leves e de conteúdo reciclado, é possível projetar edifícios mais saudáveis e com menos consumo de energia.

Para alcançar um mundo 100% circular, com zero emissões de carbono e resíduos, os edifícios devem ser pensados de forma eficiente, considerando a produção de materiais, a conceção e a construção de edifícios.

Tal já é possível ao dia de hoje através dos produtos das marcas Saint-Gobain já que permitem construir uma cidade sustentável e que integra uma vasta tipologia de edifícios.

A CIDADE SUSTENTÁVEL DA SAINT-GOBAIN

CONSTRUIR UM MUNDO MELHOR

ENERGIA E CARBONO
Líder mundial em construção sustentável, a Saint-Gobain trabalha diariamente para melhorar as suas métricas ambientais. Assim, a energia utilizada nos centros da Saint-Gobain em Portugal é maioritariamente verde, e em alguns centros de produção são utilizados painéis fotovoltaicos para a produção de energia.
No processo de fabricação de vidro na Saint-Gobain, 60% das emissões de CO2 foram reduzidas incorporando-lhe resíduos de vidro. O vidro SGG CLIMALIT Plus, por seu turno, é composto por vidro baixo emissivo, contribuindo para uma melhoria do isolamento térmico, ao permitir reduzir as perdas de energia em 54%.
Além disso, a utilização de sucata na produção de produtos Saint-Gobain PAM (tubos, acessórios, válvulas, tampas…) resulta numa redução substancial das emissões de gases de CO2, bem como na otimização do consumo de energia.

RECURSOS & CIRCULARIDADE
Em 80% das unidades industriais da Saint-Gobain PAM são utilizados mais de 60% de materiais reciclados no processo de produção. Na Weber os produtos primam pela circularidade, como é o caso do webercol flex lev, uma argamassa que inclui na sua composição mais de 30% de matérias-primas recicladas, que são reavaliadas no produto, em vez de serem desperdiçadas. A Lã mineral ISOVER – Ecovent VN 03; a Geowall 34 e a Arena APTA, por sua vez, têm mais de 50% de material reciclado na sua composição.
A empresa é também pioneira no setor ao utilizar produtos com matérias-primas naturais, como o painel isolante de cortiça webertherm, utilizado no sistema webertherm natura. Trata-se de um aglomerado de cortiça, 100% natural, no qual o próprio encadernador é a “resina” derivada da cortiça.
No que concerne a materiais 100% recicláveis ou reutilizáveis, destacam-se o agregado leve Leca®, assim como o aço e o alumínio usados nas soluções de tetos da Gabelex, que podem ser reciclados indefinidamente, sem afetar a sua qualidade.
Já os produtos em ferro fundido dúctil Saint-Gobain PAM são 100% recicláveis e têm uma vida útil nas redes de abastecimento de água de pelo menos 100 anos.

SAÚDE E SEGURANÇA NOS LOCAIS DE TRABALHO
A Saint-Gobain trabalha continuamente para desenvolver produtos inovadores que incorporem matérias-primas alternativas na sua composição e que reduzam o uso de substâncias perigosas, minimizando, assim, os riscos para a saúde dos profissionais da construção civil e dos utilizadores finais.
Os sistemas de construção à base de gesso cartonado da Placo, as argamassas prontas a aplicar da Weber, e os agregados leves de argila expandida da Leca® são exemplos claros que contribuem para uma utilização mais simplificada dos materiais de construção no local de trabalho, evitando lesões músculo-esqueléticas e possíveis doenças respiratórias.

OBJETIVOS A LONGO PRAZO
Com base nas tendências e preocupações da Saint-Gobain, foram definidos objetivos que contribuem para a um mundo melhor e mais amigo do ambiente. Estes incluem, até 2030, uma série de medidas para combater as alterações climáticas:

• -50% de captação de água industrial, sem descarga nas áreas de seca.
• -100% de análise dos ciclos de vida para todas as gamas de produtos do Grupo.
• -33% de emissões diretas provenientes de fontes próprias ou controladas para o fabrico de produtos. Incluem, por exemplo, as emissões das combustões de caldeiras e fornos próprios ou controlados e as emissões de reações químicas em equipamentos de processo próprios ou controlados (ou seja, descarbonização de matérias-primas).
• -16% das outras emissões indiretas que ocorrem na cadeia de valor de uma empresa.

Para apostar na economia circular:
• +30% das matérias-primas virgens evitadas.
• -80% de resíduos não recuperados.
• Embalagens 100% recicláveis
• +30% de conteúdo reciclável ou proveniente de fontes bio para as embalagens.

Até 2050, o Grupo está empenhado em alcançar a neutralidade carbónica, respondendo aos desafios das alterações climáticas e da escassez de recursos, promovendo a saúde e o bem-estar dos ocupantes. Tal será possível oferecendo soluções que tornam os edifícios energeticamente eficientes e que respondam ao desafio de proteger o planeta. A maioria das soluções Saint-Gobain (em particular as baseadas em vidro, isolamento com lã mineral, placas de gesso, argamassas para revestimento de fachadas e pavimentos) já estão a contribuir para estes objetivos.