IRS – Mais-valias: Alienação de ações detidas há mais de 12 meses

O Supremo Tribunal Administrativo, Pleno da Secção de Contencioso Tributário, no seu Acórdão nº 5/2015, de 26 de outubro, uniformizou a jurisprudência estabelecendo o seguinte entendimento:

«As mais-valias decorrentes de atos de alienação de ações detidas há mais de 12 meses que tenham ocorrido antes da entrada em vigor da Lei 15/2010, de 26 de Julho, particularmente no período compreendido entre 1 de Janeiro e 26 de Julho de 2010, continuam a seguir o regime legal de não sujeição a tributação previsto no n.º 2, alínea a), do artigo 10.º do Código do Imposto sobre Rendimento das Pessoas Singulares, e, como tal, não concorrem para a formação do saldo anual tributável de mais-valias a que se refere o artigo 43.º do CIRS.»

Partilhar: