Materiais de construção estimam crescimento de 1,7% em 2021 e 2,1% em 2022

Notícia publicado na Vida Económica, 19 fevereiro (ver aqui)
APCMC considera 2020 positivo

Materiais de construção estimam crescimento de 1,7% em 2021 e 2,1% em 2022
A APCMC – Associação Materiais de Construção considera que 2020 foi um ano positivo tanto para os volumes de construção como para os negócios do setor, embora apresentando crescimentos modestos.
De acordo com o estudo “Evolução dos Negócios no Comércio de Materiais de Construção – estimativas para 2020” e previsões para 2021 e 2022, elaborado por Manuel Carlos Nogueira, economista e docente universitário, para a APCMC, o setor do comércio e distribuição dos matérias de construção em 2020 apresentou um crescimento entre 0,5% e 1,5%, dependendo do subsetor. Para 2021, as estimativas de crescimento apontam para valores entre 1% e 1,9% e, para 2022, entre 1,2% e 2,7%, também dependendo do subsetor.
Em termos globais, a estimativa sobre volume de construção em 2020 foi de um crescimento de 1,3% (os dados sobre o último ano ainda não se encontram apurados na totalidade), sendo que para 2021 e 2022 se prevê um aumento de 1,7% e 2,1%, respetivamente.
Embora seja certo que crescimentos insustentáveis e estratosféricos, como os verificados na década de 80 e 90, não irão ocorrer nos próximos dois anos, o estudo da APCMC alerta, contudo, que os negócios previsivelmente estarão assegurados e até com algum crescimento. “Não queremos deixar de dar uma palavra de confiança para os comerciantes e distribuidores de materiais de construção”, acrescenta.

Subsetores com crescimentos diferentes

Se analisarmos a performance esperada em cada um dos subsetores que constituem o mercado dos materiais de construção, verificamos que as previsões para 2021 e para 2022 apontam para valores entre os 1,6% e os 2,7%.
Crescimento superior é esperado na construção habitacional – renovação, de 2,1% e 2,9%, respetivamente. Na construção não habitacional nova, o desempenho é inferior nos dois anos em análise: 0,7% e 1,4%, respetivamente.
Quanto à engenharia civil nova é esperado um crescimento de 2,1% em 2021 e 2,5%, em 2022. No caso da engenharia civil – renovação, o crescimento previsto é de 1,3% e 1,5%, respetivamente.

Susana Almeida, 19/02/2021