INE – Um Ano de Pandemia: uma Breve Síntese

Um Ano de Pandemia: uma Breve Síntese (28 de maio de 2021)
De março de 2020 a fevereiro de 2021: 12 meses marcados pela pandemia
Resumo

A comparação de resultados estatísticos disponíveis para o 1º ano da pandemia (março de 2020 a fevereiro de 2021) com o período pré-pandémico (março de 2019 a fevereiro de 2020), permite ter uma noção mais informada sobre o impacto da pandemia e avaliar os seus efeitos nas várias áreas.

Assim, entre os indicadores disponibilizados na publicação que hoje se divulga “Um ano de pandemia: uma breve síntese” salientam-se os seguintes resultados:

• Número médio mensal de 11 170 óbitos aumentou 21,9%, que conjugado com a redução dos nados vivos (-4,8%), determinou um agravamento do saldo natural negativo que passou de 23 441, no ano pré-pandémico para 51 680 no primeiro ano da pandemia;
• Comparando com o ano anterior, redução do emprego em 2,1%, aumento da taxa de desemprego de 6,7% para 7,2% e da taxa de subutilização do trabalho de 12,9% para 14,5%, não obstante as medidas de política de apoio ao emprego e ao rendimento como o Lay-off simplificado e que terão impedido que se tenham atingido resultados no mercado de trabalho semelhantes aos verificados durante o programa de ajustamento da economia portuguesa;
• Contração de 8,4% do PIB em volume face ao ano pré-pandémico;
• Diminuição mais acentuada das importações de bens que das exportações (-17,4% e -11,2%, respetivamente), permitindo uma redução do défice comercial;
• Impacto muito negativo nas atividades turísticas e conexas, com especial destaque para a contração da procura dos respetivos serviços pelos não residentes, determinando que a balança de bens e serviços tenha apresentado um saldo negativo apesar da redução do défice comercial;
• Atividade da construção apresentou alguma resiliência, tendo-se registado nomeadamente um crescimento em termos médios nas transações de alojamentos novos (+7,3% em valor), das vendas de cimento em quantidade (+8,0%) e um aumento de 7,8% dos preços da habitação, relativamente ao ano pré-pandémico;
• No domínio do ambiente, redução de 13,7% na emissão de gases de efeito de estufa (variação de -9,9% no período pré-pandemia).

Edição interativa

Mais informações

Publicação

Destaque