CCP reage criticamente à aprovação do OE 2019

Em nota enviada à comunicação social logo após a sua aprovação final pela Assembleia da República, a CCP, Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, cuja Direção a APCMC integra, não poupou nas críticas ao Orçamento do Estado para 2019, considerando-o um orçamento de continuidade, assente na dinâmica da procura, que não desenvolve consistentes políticas de oferta, dominado por uma visão de curto prazo, secundarizando os grandes desafios colocados ao país e não preocupado com o investimento, cuja previsão de crescimento está sobrevalorizada.

Um Orçamento que é expressão de uma visão «conjunturalista», com medidas em quantidade mas não integradas, sem alcance e profundidade, sem mudanças estruturais ao nível do Estado medidas que obrigará a cortes nas despesas de investimento e que não deixa margem para que possa ocorrer uma redução da carga contributiva justa e impactante.

Aceda aqui ao documento